quarta-feira, 6 de novembro de 2013

O mais jovem alfaiate de Bragança tem 60 anos

Tem 60 anos o mais jovem alfaiate de Bragança, no que explica a razão de ser uma das profissões ameaçadas de extinção. António Francisco é, no entanto, um caso de sucesso de quem soube direcionar a clientela para se manter no mercado.


video

RTP1Patrícia Lopes/ Nuno Miguel Fernandes02 Nov, 2013

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Meu nome é Tony Miranda

Como um aprendiz de alfaiate das Beiras fez a diferença em Paris. E hoje não desiste de talhar fatos de alta costura em Portugal.



Desafia-se o mais empedernido dos citadinos a concentrar-se nalguma outra coisa quando há melros por perto a debicarem nos frutos de uma enorme amoreira de um jardim em Lisboa. Não sabemos se existiam árvores destas em Torrados no tempo em que António Miranda ali cresceu, último de cinco irmãos, filho de uma costureira e de um sapateiro que era bom a fazer botas. Mas melros havia com certeza na pequena aldeia beirã do concelho de Felgueiras, e se calhar tantos quantos os habitantes, recorda ele que nem duzentos nos anos cinquenta.
Quando não estava entretido a ver a mãe a coser, quando não se sentava nos seus joelhos enquanto ela se punha a fazer quilómetros na máquina de costura, António gostava de andar pelos campos. Hoje diz que a "obsessão pelos trapos" vem desde que nasceu mas foi preciso o padre da aldeia instalar um televisor no salão paroquial para acontecer a grande epifania da sua vida. Era a primeira vez que via televisão e logo nessa primeira vez havia de passar um desfile do francês Christian Dior. Chegou a casa e a mãe ouviu-lhe: "Tenho de ir a Paris para fazer aquilo que vi hoje."
Tinha quase 14 anos e sabia umas coisas de costura. Desde os 12 que trabalhava noites e fins de semana num alfaiate da terra e já fizera o seu primeiro fato completo para um noivo. Saiu a salto perto de Chaves como se usava na altura, com dinheiro emprestado pelo antigo patrão e por dois dos irmãos mais velhos. Fê-lo às escondidas porque o pai estava contra - queria-o sapateiro como ele e não era homem de aventuras.
Quase cinquenta anos depois é aos campos que António volta sempre que cria uma nova coleção de alta costura. Quando põe nos chariots os vestidos ("Todos vestíveis") que vai apresentar no próximo dia 26, no Hotel Ritz, em Lisboa, vê um jardim onde acaba por colocar alguma flor, nem que seja bordada. Só escapam os fatos smoking, uma linha que o acompanha sempre porque a sua formação principal foram os fatos de homem.
Tudo à mão
Se estiver bom tempo o desfile L'Art de la perfection será no jardim do hotel e terminará ao som de La vie en rose, cantada por Gilbert Bécaud. António vestiu-o muitas vezes quando trabalhou em Paris com o criador Ted Lapidus, entre as décadas de sessenta e setenta. A lista de famosos seria imensa porque ia lá quase toda a Paris, mais uns chefes de Estado africanos e muita realeza das Arábias. António tem os nomes dos clientes bem presentes, de alguns até recorda as medidas, exigências, pequenas manias.
Vinte e cinco anos depois de regressar a Portugal são alguns desses clientes que mantêm a laborar o seu ateliê em Guimarães.


 Texto: Rosa Ruela
  Foto: Luís Barra

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Como foi o XXIV Encontro Nacional de Mestres Alfaiates


 Este ano reunimo-nos na Covilhã.


Celebração Religiosa


Receção na Câmara Municipal da Covilhã


Visita ao Museu dos Lanifícios


Convívio



Homenagem ao Mestre mais idoso 

 Actuação do Orfeão do LAT



Despedida

No próximo ano estaremos de novo juntos, no Porto, para o XXV Encontro Nacional de Mestres Alfaiates. 

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Anuário de Alfaiataria 2013



No âmbito dos projetos de investigação do IPAM Lab Aveiro surgiu o  projeto denominado: “Alfaiataria: Um estilo de vida? Experiências e  serviço nas alfaiatarias portuguesas” enquadrado na área  científica  do  “Marketing de luxo”. 
O projeto, orientado para a compreensão e mapeamento das práticas  adotadas na alfaiataria portuguesa, decorreu de outubro de 2012 até  maio de 2013, com uma equipa de investigadores composta por quarto  elementos: Profª Cidália Neves (líder do projeto), Dr.ª Mariana Teixeira,  Prof. Gonçalo Caetano Alves e Profª Irina Saur-Amaral (investigadores  afetos ao projeto). 
As principais atividades do projeto envolveram uma revisão bibliográfica e desenvolvimento de um modelo de análise  que engloba as principais  dimensões do luxo (perspetiva do serviço e do consumo), seguidas por entrevistas com  alfaiates e clientes de alfaiates para melhorar este modelo e compreender melhor as particularidades da profissão. 
O projeto permitiu ir ao e encontro  de 18 alfaiates, localizados no Porto,  Aveiro e Lisboa, de várias gerações e níveis de preço e serviço mas que  trabalham para uma clientela com características muito peculiares e  semelhantes entre si. 
A realização do anuário da alfaiataria como forma de homenagear a profissão resume algumas das conclusões do projeto, mas sobretudo abre  portas para trabalhos futuros relacionados com a alfaiataria.  As próximas  páginas permitirão descobrir mais…
Em suma, foi uma experiência inesquecível para a equipa de projeto, que  mergulhou no mundo da alfaiataria, deixando-se cativar pela sua  distinção.


Para adquirir a versão digital do Anuário, pode fazê-lo através da página da Bubok. Se preferir a versão em papel por 29,99 €, deverá solicitá-lo para um dos seguintes emails: andrevieira@ipam.pt ou irina.amaral@ipam.pt.


terça-feira, 28 de maio de 2013

“Queremos criar a marca ‘Alfaiate de Portugal’”


Depois de ter feito um mapeamento da alfaiataria em Portugal, IPAM Lab quer ser parceiro na criação da marca “Alfaiate de Portugal


Ser-se alfaiate é uma actividade de risco ou uma oportunidade? A resposta não é óbvia e precisamente por isso, o IPAM LAb de Aveiro lançou “mãos à obra” e decidiu mapear a profissão. O projecto científico, iniciado em Outubro do ano passado, pretendia, explica Irina Saur-Amaral (directora do IPAM LAb Aveiro), “perceber como funcionam os alfaiates” e a conclusão a que chegaram foi a de que não se trata de um sector “parado no tempo”, antes tem no mercado de luxo um “aliado de peso”. “Há um nicho de mercado, é um serviço direccionado, sobretudo, para a classe média e média/alta, tendo várias profissões a ele associadas, principalmente advocacia e política”, acrescenta Mariana Teixeira, investigadora do projecto. Não obstante este mercado, que permite alguma sustentabilidade da profissão, as opiniões recolhidas pelo estudo, permitem concluir que a falta de formação técnica e especialista existente pode ser um factor que determine a sua extinção. “As opiniões que vamos recolhendo dos alfaiates, estes acham que é uma profissão em vias de extinção, devido à falta de formação”, argumenta Mariana Teixeira que, com o avançar do projecto, concluiu, com alguma surpresa, que se trata de uma profissão com alguns jovens.


In: Diário de Aveiro
Jornalista: 
Ana Sofia Pinheiro

Autor da Imagem: 
Paulo Ramos

sábado, 18 de maio de 2013

Encontro em Aveiro homenageia alfaiates e debate a profissão


special_for_you_480x294Alfaiates de todo o País vão participar no “Special for You“, um evento que vai decorrer em Aveiro no dia 23, para homenagear a profissão e “celebrar o luxo como profissão e como experiência de consumo”.
A iniciativa é do Instituto Português de Administração e Marketing (IPAM) que, na ocasião, apresenta um estudo científico denominado “Alfaiataria: Um estilo de vida? Experiências e serviço nas alfaiatarias portuguesas”, que envolveu o contacto com 18 alfaiates do Porto, de Aveiro e de Lisboa.
Representativo de várias gerações de alfaiates e de vários níveis de preço e serviço, o painel objeto de estudo permitiu analisar a clientela, elaborar um descritivo do perfil dos clientes, quer nacionais quer internacionais, e detetar as várias semelhanças e peculiaridades que lhes são comuns.
“A homenagem ao distinto mundo da alfaiataria surge na sequência de uma investigação científica que a escola de marketing desenvolveu nos últimos nove meses, com o objetivo de aprofundar conhecimentos sobre o serviço, que se assume quase como um culto”, explica uma nota do IPAM.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Special for You: Alfaiataria, Estilo e Luxo



“Special for You” é um evento que celebra o luxo como profissão e como experiência de consumo. 

A decorrer no dia 23 de maio, no IPAM Aveiro, a partir das 17h30 até às 20h30, sensivelmente, o evento aproveitará para homenagear a alfaiataria (o XXIV Encontro Nacional de Mestres Alfaiates será no dia 26 de maio), apresentar os resultados do projeto de investigação sobre a profissão e clientes de alfaiates desenvolvido pela equipa do IPAM Lab, e ainda lançar o primeiro Anuário de Alfaiataria, trabalho único em Portugal. Contamos para este efeito com a presença dos alfaiates que participaram no projeto, do norte ao sul do país.

Traremos para o IPAM Aveiro, numa experiência única e inesquecível, alfaiates, estilistas, professores, autores de livros sobre luxo, para debater de forma aberta, num ambiente informal, a Alfaiataria, o Estilo e o Luxo.

O Roadbook do evento contempla outros momentos:
• visita à Exposição do Luxo (a criar no foyer e no espaço exterior do IPAM Aveiro), que reunirá marcas de luxo de joalharia, automóveis, peças de design exclusivo, entre outros;
• desfile de moda com peças criadas por alfaiates/estilistas
• degustação de delicias acompanhadas de espumante

Venha passar connosco um final da tarde muito especial, desenhado para si!



http://www.ipam.pt/pt/whats-up/special-for-you.aspx